Mulheres no Rock:

Por Marcella Matos

O dia 8 de março já passou, entretanto, nunca é tarde para homenagear e lembrar as mulheres que desde a década de 1960 vem conquistando um espaço cada vez maior num gênero que até então era considerado initerruptamente masculino, e se engana quem pensa que são poucas as mulheres no cenário do rock; e estas, deixam a mensagem de que mulheres podem fazer (e muito bem feito) rock. Eis algumas listadas aqui:

Janis Joplin: Ícone dos anos 60, e dona de uma voz única e inconfundível, desde sempre teve uma alma rebelde; seu estilo era o da geração beat, estilo de muitos artistas, poetas e escritores que cultivavam uma vida nômade e constantemente fundavam comunidades; eles foram os precursores do movimento hippie. Foi vocalista da banda Big Brother and The Holding Company; suas influências foram os músicos de Blues e Jazz. Entre seus maiores sucessos está Piece Of My Heart e Cry Baby.

Rita Lee: Fez parte do grupo Os Mutantes (inovador ao misturar o rock com elementos tipicamente brasileiro) e do Rita Lee e Tutti Frutti. O disco Fruto Proibido (1975), do Tutti Fritti, trouxe uma bagagem de sucessos como, Agora Só Falta Você, Esse Tal de Roque Enrow, Ovelha Negra, dentre outros; este disco é muito  considerado pelo rock nacional, e, é de suma importância, pois, veio a influenciar muitos artistas, principalmente as mulheres. Depois de dez anos sem gravar, lança Reza.  Recentemente acaba de aposentar dos palcos.

Joan Jett (The Runaways): A banda da qual Jett era guitarrista abriu shows de grandes bandas, como Van Halen; e também fez uma turnê mundial com os Ramones. Sua importância para as mulheres amantes do rock é imensa, já que ela está presente na lista dos melhores guitarristas, da qual integram duas mulheres. Após o término do Runaways ,teve seu disco rejeitado por muitas gravadoras,  e a partir disso fundou  a sua própria( foi pioneira nisso), seu disco  I Love Rock ‘n Rollfoi um sucesso. Dentre os sucessos de sua carreira está I Love Rock ‘n Roll (versão da banda The Arrows), Bad Reputation, e outras. The Runaways era formado por adolescentes (muitas menores de idade) com atitudes e comportamentos bem no estilo faça você mesmo, sendo por isso muito criticado pela mídia. Inspirou-se nas bandas dos anos 70, como T. Rex, Suzi Quatro, Slade e David Bowie. É símbolo do movimento em prol das bandas femininas, e sua influência na década de 80 e 90 é incontestável.

Debbie Harry: Líder da banda Blondie, posteriormente seguiu carreira solo. O grupo obteve sucesso no final dos anos 70 e início dos anos 80. Debbie é precursora de tendências como, por exemplo, seu cabelo em duas tonalidades (funde o loiro platinado com preto).

L7: Com a saída do baterista Roy, e a entrada de Dee Plakas, a banda se torna inteiramente composta por mulheres. O L7 participou ao lado do Nirvana, Mudhoney, Tad, Scream Trees, e outras bandas grunge, da coletânea Grunge Years: Sub Pop Compilation. Fez uma turnê com o Nirvana. Gravaram um álbum, no qual bandas composta inteiramente por mulheres faziam covers de outras bandas (também femininas) dos anos 70; o álbum se chama Spirit of 73: Rock For Choice. O álbum Bricks are Heavy é considerado um dos discos importantes da década de 1990.

Alison Mosshart: Vocalista e guitarrista da dupla The Kills (formado também pelo guitarrista Jamie Hince) e da banda The Dead Weather (formado por Jack White, Jack Lawrence, do Raconteurs, e Dean Fertita, do Queens Of The Stone Age). Dona de uma voz, atitude e de um estilo digno de uma musa do rock.

Juliette Lewis: Atriz e cantora, já foi vocalista da banda Juliette and the Licks, hoje segue carreira solo. Participou do VMB 2007, e no mesmo ano, da então edição do Tim Festival. Como atriz, participou de muitos filmes, entre eles Assassinos por Naatureza e Cabo do medo. Com Juliette and The Licks tocou ao lado de ícones do rock como Motörhead e do Queens of The Stone Age.

Pitty: Baiana, passou sua infância em Porto Seguro, onde desde cedo seus amigos lhe apresentaram bandas de rock como Faith no More e Nirvana. Hoje, Pitty é ícone da atual geração do rock feminino brasileiro. Sua primeira banda foi a de hardcore Inkoma. Estudou música na Universidade Federal da Bahia, porém não concluiu o curso. É uma das artistas brasileiras mais bem premiadas, e recentemente foi convidada para cantar no disco Come As You Are: A 20th Anniversary Tribute To Nirvana’s Nevermind, que comemorou os 20 anos de lançamento do álbum Nervermind, do Nirvana.

%d blogueiros gostam disto: