Toca Raul!!!!!!!!!!!

Por Marcella Matos

A música brasileira nunca mais seria a mesma após o dia 28 de Junho de 1945; pois vinha ao mundo Raul Santos Seixas, nosso eterno Maluco Beleza.  Quando criança Preferia ler na vasta biblioteca do pai ao invés de brincar, e desde já, se considerava maluco, e pensava que ninguém queria lhe contar. Segundo sua mãe, D. Eugênia, Raul criava histórias em seus cadernos escolares e os vendia ao seu irmão mais novo, Plínio; o personagem principal era um cientista maluco que viajava no tempo, chamado Melô.  Raul Teve seu primeiro contato com o Rock ainda criança, pois era vizinho do consulado americano, e a partir dele conheceu artistas como Chuck Berry, Elvis Presley, dentre outros. Fez parte do Elvis Rock Club, sendo, aliás, um de seus fundadores. O Rock naquela época não era bem visto pela sociedade, e com os pais de Raul não seria diferente. Mesmo assim, Raul burlava o sistema e “matava” aula para escutar os discos de Rock and Roll, tendo por isso, repetido três vezes o ginásio. Segundo suas próprias palavras: “Ouvi os discos de Elvis até estragar os sulcos.”

No ano de 1962 se apresenta em programas de calouro com sua banda Os Relâmpagos do Rock, que mais tarde seria conhecida como The Panters, e finalmente Raulzito e Os Panteras. Devido ao insucesso do disco Raulzito e os Panteras, em 1970 Raul arruma um emprego de produtor musical, e inclusive, muitas de suas músicas são gravadas por outros artistas. Se aproveitando de uma viagem do presidente da gravadora, Raul lança o disco Sociedade da Grã Ordem Kavernista Apresenta Sessão das Dez.

 Raul Seixas foi um dos pioneiros do Rock no país, e o precursor da guitarra no Brasil. Fazer Rock no Brasil dos anos 60 era complicado, já que o cenário musical era dominado pela Bossa Nova. As dificuldades só foram amenizadas em 1967 com o início da Tropicália, pois a mesma adotou o uso da guitarra.

Raul em suas músicas fundia gêneros musicais diversos como o Baião e o Rock (Let me sing my rock´n´roll), e essa mistura era considerada heresia na época, e era algo inédito, visto antes. Sua genialidade era tanta que constantemente driblava a censura do regime militar, um bom exemplo disso é a fantástica letra de Ouro de Tolo, música de 1973, na qual Raul debocha da ditadura e do milagre econômico (sem ela se dar conta), letra muito mais “subversiva” que muitas outras que a ditadura censurou. Fora que o tempo da letra é bem maior que o tempo da melodia, sendo esta, outra inovação de Raul.

Seus dois maiores parceiros musicais foram Cláudio Roberto e Paulo Coelho. Este último ele conheceu em 1971, quando leu um artigo na revista 2001 sobre discos voadores. Num jantar, Raul cantou S.O.S, e segundo as próprias palavras de Paulo Coelho: “Fiquei apaixonado”. Depois disso, eles viraram grandes amigos e parceiros musicais (fizeram juntos Al Capone, Gita, A Maçã, dentre outros).  Juntos, eles fundaram a Sociedade Alternativa, a partir dos preceitos do Livro da Lei, de Aleister Crowley, sociedade na qual o grito de guerra é “Faz o que tu queres há de ser tudo da lei”; as pessoas cantavam a canção com os punhos cerrados (a ditadura não gostou nem um pouco). Entretanto, em 1974 o governo intimou os dois; ingênuos, acharam que os militares tinham gostado da tal sociedade Alternativa; no mesmo dia foram presos, torturados e “convidados” a se retirar do país (Raul era considerado subversivo para a ditadura). Mas, devido ao sucesso de Gita, que vendeu 600.000 unidades, eles tiveram permissão de voltar ao país, caso contrário geraria muita especulação, já que o exílio deles não tinha sido divulgado.

Depois de um período tenso em sua carreira, em que Raul ficou três anos sem pisar num palco devido ao abuso de álcool e drogas que lhe deixou com a saúde frágil, fez uma participação no disco Duplo sentido, do Camisa de vênus, que lhe rendeu, junto com Marcelo Nova, uma série de Shows pelo Brasil. Seu último disco foi com Nova, e chamado A panela do diabo, que vendeu nada menos que 150.000 cópias.

Raul Seixas, como vimos, teve um papel muito importante no cenário do Rock nacional, tendo introduzido muitas novidades na casa, sem dúvida é um dos pioneiros do Rock brasileiro. Nas palavras de Nelson Motta: “Sua música continua viva por sua inteligência, e seu humor corrosivo á serviço da liberdade e do melhor espírito Rock and roll”.  TOCA RAUL!!!!!!!!!!!!!!

Raul Seixas e Paulo Coelho: Depois de anos sem se ver cantam Sociedade Alternativa

Fonte: Mtv+ Raul Seixas 

%d blogueiros gostam disto: